Colunistas

13/08/2019 | Literário
TRISTEZA
Por: Onelia Queiroga

A tristeza é um estado psíquico que leva à alma vontade de chorar, por lembrar fatos repletos de mágoas e de desalento.

A tristeza provoca em quem a sente um desânimo da vida, carregado de nostalgia, de sentido de abandono, de desencanto, de perda nunca mais recuperada.

A tristeza, muitas vezes, leva ao isolamento, nos momentos mais sofridos e nas horas mais dolentes propiciadas pela natureza. Estima-se que esta compreende o por que da solidão de alguém, por isso,também, ela própria se estremece em solidariedade àquela que sofre.

Sofrer com resignação talvez represente um pouco de esperança na reconquista do bem perdido. Esperar com calma é preciso; é a magia de quem põe à prova as forças guardadas para esses instantes de transes de cruz.

Tristeza vem, tristeza vai. A tristeza às vezes, fica por longo tempo de prova de resistência de cada um. A tristeza que vai, para nunca mais voltar, é aquela que já sabe que a dor do outro está completamente curada, pronta para acolher um novo dia, uma nova oportunidade de viver, uma nova era marcada por planos diferentes dos existentes outrora.

A tristeza não mora para sempre no coração do sofredor, porque há dias de chuva e dias de sol; há dias de escassez e dias de prosperidade; há dias de pessimismo e dias de esperança. Há dias para o fracasso e há dias para todas as vitórias.

Os que trazem no rosto a marca de ferro da tristeza, a dor, deve apagá-la. Deve ir em busca da felicidade que é alegria, que é luz e bondade. A sua conquista relacionada está à sabedoria de cada um. Os que a alcança, terão sempre um sorriso no semblante. São chamados de venturosos.


Onélia Queiroga


Onaldo Queiroga
Todos os direitos reservados