Colunistas

13/08/2019 | Literário
ROTA 53
Por: Onaldo Queiroga

Publicado em: 22/07/2019 por Ana Paula
Nasci no mundo chamado sertão. Minha pátria, Pombal. Menino que nas águas do seu rio banhava-se e vivenciava piquiniques embaixo das sombras de oiticicas. Pedalando sua bicicleta caloi, percorria calçadas e ruas sob a luz do sol e da lua do imenso sertão paraibano.

Quando amanhecia o sábado, andava pela grande feira de rua, onde comprava baladeiras e piões. Pelo calçamento, panelas e potes de barro. Numa esquina cantadores de viola dedilhavam e faziam rimas de improviso. Mas adiante, gaiolas e passarinhos, o canto divino dos canários, galos de campina, curiós e o estridente som do cancão. E quando a noite chegava? O menino livre e feliz seguia para o Cine-lux para assistir seus faroestes.

O tempo. Implacavelmente fez os dias velozes e,o menino, se fez estudante, advogado, promotor de justiça, juiz, escritor, esposo, pai e avô. Os dias continuam galopantes e nos levam a olhar para trás e perceber que muitos já desceram em estações do passado.

A vida é assim. Como diz o poeta, não para. Por isso, o menino continua a caminhada, enfrenta novos desafios, busca novos sonhos e sabe que as dores, alegrias, derrotas e vitórias são marcas de um tempo já vivido e, que permitem uma visão maior sobre a vida, que aliada a fé em Deus, possibilita e possibilitará a superação de novas intempéries do existir.

Dia 22 de julho de 2019, esse meninoinicia seus passos pela estrada 53. Sob o vento do amor, o menino sempre agradecido a Deus e Nele a inarredávelcerteza de que o homem pode afastar-se da inveja, da ganância, da violência e do egocentrismo, sonha num viver porum tempo de mais solidariedade. Com preces contínuas, pede a Deus que mantenha acesa a luz dos sonhos, dos ideais em prol da paz e bem comum. Continuo feliz! Deus abençoe todos nós.


Onaldo Queiroga
Todos os direitos reservados